quinta-feira, 26 de julho de 2012

Pura sapiência!

Ora então....boas caros leitores!

Pois. Sim. Já sei. "Ah e tal estes gajos publicam algo de 2 em 2 anos" - é o que muitos de vocês pensam (pelo menos um de vocês pensa, não é CD?). Pois, podemos demorar a postar mas quando o fazemos vale mesmo a pena e mais nada. A provar isso mesmo, o que vos trago hoje é um uma pequena fatia desse grande bolo que é a sabedoria popular.

Hoje fiquei a saber algo que me deixou deveras surpreendido. Tanto é que quase parti uns pratos por causa do que ouvi. Isto porque estava a colocar a mesa para o almoço quando, qual cotonete, este rasgo de conhecimento, quase científico, me entra pelo ouvido duma maneira que quase tive que levar as mãos à cabeça numa atitude de quem pensa "como não sabia disto?!". Felizmente, consegui evitar e lá almoçamos em paz e com os pratos inteiros.

Pura e simplesmente, o que eu fiquei a saber foi: a trovoada, a TROVOADA, estraga e/ou azeda (qualquer que seja o caso) o leite e sopa. Eu sempre vivi num meio, vá, meio rural e ouvi constantemente as minhas avós a dizerem cenas do tipo: está escuro para o lado do mar, vai chover; manhã de nevoeiro, tarde de soalheiro; o som do vouguinha a apitar ao longe, vai chover; etc. e tal. Pois, eu fui ouvindo estas cenas, algumas delas bastante parvas, mas confesso que esta me deixou boquiaberto. Sopa ou leite + trovoada = blhac! Quê?! A sério?! A minha mãe e a minha tia juram a pés juntos que sim.

Vamos a um suponhamos. Vamos supor que isto é (pfff...) verdade, então o seguinte também tem o seu quê de verdade, não?

- Estamos a comer sopa. Comemos umas 2 ou 3 colheradas. Entretanto, começa a trovejar. A colherada seguinte já é uma bosta porque a sopa azedou!

- Se o leite fica azedo com a trovoada, sempre que troveja as vacas ficam de diarreia? Ou o leite já sai coalhado das tetinhas?

P.S.: Se me dizem que não é logo, que é passado algum tempo, meus amigos então é como todo e qualquer outro alimento que, estando ao ar, acaba por se estragar. A trovoada é uma mera coincidência. Passe, claro, o exagero de tudo isto.

Não sei mais que vos diga!

Coalhadamente, a Administração.

Sem comentários: