segunda-feira, 27 de abril de 2009

Uma pequena... achega!

Caros ... leitores, tal como o título indica, venho apenas consolidar/enriquecer/dar substância/complementar/engrandecer (e por aí fora, antes que esta coisa dos sinónimos se torne aborrecida) os posts do passado Domingo, que é como quem diz, ontem!

Para tal, venho aqui acrescentar uma citação inúmeras vezes (mas inúmeras mesmo!) proferida pelos administradores deste blog durante a noite de Sábado e durante o dissecting que teve lugar na tarde de Domingo.

Para quem não sabe, aqui fica:
" - Oléééééééé!"

Nota: esta citação foi proferida para dar ênfase a tudo e mais alguma coisa que nos desse na veneta...

E agora, só para rematar, peço a atenção dos ... leitores para o vídeo "Patinagem no Museu de Lamas" da rúbrica "Caipicola on camera", com particular destaque para os instantes finais do vídeo. É que após tão magnífica demonstração de Deslizing (nova modalidade, acabadinha de inventar e que desde já sugiro que faça parte do rol de actividades das Olimpíadas de Casal de Ermio), o vídeo termina com um simples, curto, mas espectacular Yeah! do deslizante, o qual teve ainda tempo para terminar a sua prestação em modo rapper.
Quiçá, adivinhando a sessão de rap que se iria seguir...

Deslizantemente, a Administração.

domingo, 26 de abril de 2009

Caipicola on camera - "Sabage"

Este vídeo é absolutamente genial. Tudo o que o Tiago diz é pura sabedoria. É ver e aprender...


video

P.S.: Sapage, uma constante inspiração para nós.

"É Sapage caralho!", a Administração.

Caipicola on camera - "Rap & Beatbox"


Mas que multifacetados que nós somos. Até viagens pelo mundo da música fazemos. Reparem na qualidade deste rap protagonizado pelos administradores do blog, juntamente com o talentoso Tiago.

Tiago - voz e letra da música (improvisada como sempre)
Diogo - batucada
Rui - Beatbox
Focse - realizador e afins

video

P.S.: De facto, o Tiago tem imenso talento para debitar letras para este estilo de música que é o rap. É pena é começar sempre com "Nós estamos aqui...".

Yeah, a Administração.

Caipicola on camera - "Patinagem no Museu de Lamas"


O título deve estar a deixar os leitores malucos. É dos títulos que mais curiosidade deve ter despertado até hoje. Estou a imaginar-vos a pensar: "Eles foram ao Museu de Lamas?!", "Andaram lá a patinar?!", "No Museu da terra dos ilhásticos?!". É fácil. O nosso amigo Tiago teve que ir lá e nós, como bons amigos, fizemos companhia (apesar de eu querer ir ver o FCP). Contudo, ainda bem que fomos porque muitos dos vídeos que agora podem assistir tiveram origem nesta viagem. Pois bem, chegados ao Museu, tivemos direito a uma pequena visita guiada e de borla. O Diogo, aproveitando as características do piso, resolveu dar asas ao seu talento, ou falta dele, para a patinage. É ver...


video

P.S.: Cuidado com os arredores do Museu de Lhiámas. É uma zona de intenso tráfico de matéria dúbia que deixa o pessoal marado.

Amorinmente, a Administração.

Caipicola on camera - "Ultras Caipicola"


Já é público o nosso amor pelo SCE, em especial a sua secção de voleibol. Pois bem, no seguimento da sua vitória em Guimarães e da consequente hipótese de festejar o título já no final da próxima semana, já começámos a aquecer as gargantas e a mostrar o nosso apoio ao clube da nossa cidade. O Tiago não se mostrou muito disponível para apoiar devido às suas divergências com o clube mas conseguimos converter o Focse. Já é alguma coisa mas, mesmo que não tivessemos conseguido, eu e o Diogo fazíamos a festa na mesma. Botem-me sentido no que se segue...


video

P.S.: Proponho que seja levado um cartaz a dizer "Ultras Caipicola" para o próximo jogo.

P.S.S.: Quero uma camisola do Kibinho!

O Kibinho é o maior, a Administração.

Caipicola on camera - "Aqui e agora"


Sinceramente, não sei bem como introduzir o vídeo. Posso dizer que foi novamente no percurso desde o Bombar até ao cemitério e que se trata de uma referência do Diogo ao comércio local. Vejam e tirem as vossas conclusões.


video

Comercialmente, a Administração.

Caipicola on camera - "Vinda do Bombar"

Este vídeo retrata a nossa deslocação, juntamente com o Nico, desde o Bombar até ao cemitério, onde eu e o Focse tínhamos "parqueado" os veículos. Peço especial atenção para a referência à Aipal e ao que se passou à tarde com o Focse nesse mesmo estabelecimento. Infelizmente esse episódio não foi recrutado em vídeo. Eu assisti e digo-vos que foi uma cena triste mas altemente hilariante.


video

Focse, o destruidor de vitrines, a Administração.

Citações do "fim de semáne" - Domingo

Depois de um final de Sábado tão intenso e, acima de tudo, do melhor, impunha-se um encontro dominical para dissecar tudo o que se tinha passado. A verdade é que este Domingo se revelou riquíssimo em termos de citações. Ei-las:

" - 32 anos?! De Barcelos?! É galo..."

" - O teu pai não dorme? É segurança nocturno?"

Nota: O pai em questão é nada mais nada menos do que Manuel Soares (não o de Sarilhos Pequenos mas sim o pai do Focse). Estas questões devem-se ao facto de o senhor ouvir as buzinadelas e os gritos de apoio ao SCE oriundos de veículos que passam em frente à sua casa. Quer dizer, o homem não dorme?! Tem o sono leve?! Não, para mim o Focse chiba-se. Vou procurar por buracos de bala no carro do Focse. Aposto que o pai está de caçadeira na varanda de guarda à casa e, por engano, já chumbou o carro ao Ti Focse.

" - Mais do que o que sai pelo teu cu, só o que entra!"

" - Espera aí que ele vai pôr em ecrã panorâmico.....Palplus."

" - Pensas que tens aí um cinema ambulante e tens mas é uma televisão a preto e branco."

Nota: Tratava-se do telemóvel do Focse. Ah...e o cu também era o dele!

" - Estou-me a cagar!
- Já não és o primeiro..."

" - Stop starring at my tits!"

" - Ficou tempo demais no tacho."

Nota: Foi dita ao vermos entrar um sujeito, conhecido por Pipoca, no Bombar com o cabelo todo no ar.

" - Isso é estúpido!
- Tu também és e andas aí."

" - Fala em condições, caralho! Não admira que andes na formação depois da escola e de teres tirado um curso..."

" - Depois da missa, oferecem churrasco."

Nota: Ao passar pela Igreja Evangélica Brasa.

Foi ou não foi um Domingo rico?

Dominicalmente, a Administração.

Citações do "fim de semáne" - Noite de Sábado


Boas!

Caros leitores, que noite de Sábado! Acho que a expressão "a p*** da loucura" faz todo o sentido neste caso. No seguimento de uma rubrica já vossa conhecida, aqui ficam (parte) de "As melhores citações do fim de semana". Aqui vão elas, sem qualquer tipo de ordem em especial...

" - Entãããããão, onde foram ontem?"
- A Mozelos!".

Nota: Perante tal questão, não estive com rodeios e entrei a pés juntos.

" - Txiii, o que é que te aconteceu aos dentes?"

Nota: Peço desculpa, sobretudo ao Nico, por quase lhe ter estragado o esquema com a moça mas a verdade é que ela devia ser forcada juntamente com a outra moçoila do Carnaval (cf. posts anteriores alusivos ao Carnaval) visto que, de acordo com o seu estado dentífrico, só pode ter andado envolvida em touradas. Pela substância preta que se encontrava nos dentes, até terra deve ter comido...

" - Sr. Raúl, é uma torrada e uma meia de leite.
- E outra torrada e um fino."

Nota: Com o Bombar a fechar, já depois das 4 da matina, achei por bem começar a pensar no pequeno-almoço.

" - Meia puta é melhor do que uma puta inteira!"

Nota: Não fomos às senhoras dos favores sexuais em troca de dinheiro. Estava a tecer um comentário relativo ao nosso estado em termos de humor influenciado pelo álcool.

Bem, estas são algumas, mas penso que as melhores, citações deste Sábado, que apenas começou no Domingo. O que quero dizer é que o Sábado só começou verdadeiramente depois da 1h da manhã. Até aí, apenas o nosso SCE nos deu uma alegria.

A cantar e a buzinar pelo SCE, a Administração.

sábado, 25 de abril de 2009

Curto e grosso

Assisti ontem a uma conversa ao telemóvel e que pode servir de exemplo para todos nós. Se todos falassem assim, mais de metade das conversas ao telefone que originam discussões seriam evitadas. E é tão simples! Basta fazerem como o sujeito fez. Tão simples quanto isto:

"Tou...deixa-me falar!
Rais te foda!!!"

Meus amigos, há que tratar os bois pelos nomes e ir directo ao assunto!

"Deixa-me comer a sopa", a Administração.

quarta-feira, 22 de abril de 2009

Tico e Teco de Pepe chocam de frente!


Buenas tardes!

Senti-me na necessidade de saudar o auditório em espanhol visto que o que me levou a escrever o post passou-se em Espanha.

Venho por este meio esclarecer o que se passou ontem com o Pepe. A situação é fácil de explicar. Pepe, talvez incitado pelo jogador do Getafe, de seu nome Casquero, desatou a cascar em tudo o que se mexia. Toda a gente diz que ele perdeu a cabeça, o próprio diz que estava de cabeça quente, coisas assim. Está tudo errado.

O problema dele, de facto, é na cabeça mas a nível mais físico do que psicológico. A busílis da questão, cá estou eu a utilizar novamente esta palavra linda do nosso léxico (pega lá outra vez Saramago que é de borla e ainda levas mais 50% grátis), reside nos olhos do Pepe, mais precisamente nas lentes que ele, provavelmente, estreou no jogo de ontem. Confuso, leitor? Eu explico.

Deve ter havido algum engano com as lentes e as que o luso-português utilizou ontem tinham um efeito binocular, o que fazia com que Pepe tivesse uma falsa noção das coisas, nomeadamente das distâncias.

Isto não é novo no futebol. Os Nippon (quem mais?) já experimentaram jogar futebol com binóculos. Ontem, foi a vez do Pepe experimentar. Pelos vistos, não correu bem...

Mas para melhor perceberem tudo o que disse, que por esta altura deve estar a parecer uma valente estupidez, para não dizer outra palavra (começada por M e terminada em "erda"), aqui ficam dois vídeos que corroboram tudo o que foi dito. Vejam, comparem e depois vão ver que eu até tenho alguma razão.

Peço especial atenção para este primeiro vídeo dado que um senhor, bastante simpático por sinal, vai explicar ao pormenor, e bem, em que consiste este futebol com binóculos.


Japanese Binocular Soccer (Very Funny!) - Click here for this week’s top video clips

Agora o "nosso" Pepe...



P.S.: Sim, no fundo, tudo o que disse acaba por ser estúpido.

Pancadariamente, a Administração.

domingo, 19 de abril de 2009

Tá difícil...

Uma pequena observação/constatação:

Hoje fui abordado quanto à possibilidade de um membro da minha família, leia-se meu irmão, "unir esforços" e a conversa iniciou-se, tão somente assim:

"- Nunca mais casa?
- Tá bem, tá. Mais depressa vem ela para cá morar, do que ele casar e sair de casa...
- Tás fodido!"


Concisamente, a Administração.

Ah pois é...

... a rúbrica "As melhores citações do passado fim de semana" está de volta!

Aqui ficam:

"- Ó moço, isto é impressionante! Até ao domingo exploram os pretos..."

"- À quarta-feira nunca vou. Só pa encontros..."

"- Chego lá e meias no caralho! Fodias-te! É que nem um post it... Ao menos, punha um post it a dizer onde estão."

"- O carocha? Pôs em casa da minha avó. Disse que estava a estorvar em casa!"


Este mundo está prostituído, a Administração.

Marine

Ça va?

Saúdo todo o auditório na língua que deve ser falada com a boca em O, ou como eu gosto de dizer, a língua cocó, dado que o vídeo que aqui publico tem como intervenientes duas pessoas desse país cuja população faz parte daquele grupo que eu gostava de malhar com o maHol. Por sorte, cada um dos françiús só fala uma vez e, graças a Deus, dizem pouco. De facto, devo dizer que o que dizem acaba por ter piada e dar outra graça ao vídeo. Aqui vai ele...

video

Depois de visto o vídeo, posso agora tecer mais alguns comentários que considero pertinentes.

Em primeiro lugar, este vídeo não faz parte da rubrica Caipicola on camera. A principal condição não estava presente. Só por acaso somos françiús, leitores? Aqui sim, dou bastantes graças a Deus por não ser.

Contudo, se tal situação for captada em vídeo, poderá haver um vídeo de "porrrada" que entre na rubrica. Isto porque há quem queira, veementemente, bater numa certa e determinada pessoa. É como eu digo, é deixar andar.

Posteriormente, gostaria de dizer isto: que grande lapada! O vídeo não mostra mas aposto que, mal a rapariga conseguiu ligar a cabeça novamente ao pescoço, o rapazito não deve ter ficado imune a uma vingança. No entanto, é preciso dizer que a vingança só deve ter acontecido num outro combate. Neste, o moço venceu, sem margem para dúvidas, por KO. Isto para um gay (só pode ser, tendo em conta aqueles movimentos pré-bofetada), não está nada mal.

Por último, sem contar com as expressões parvas do moço, o que eles dizem não torna o vídeo mais piadético? A moçoila já diz o "quoi" totalmente abananada e ainda nem tinha levado a chapadona...

Gypsy Kings, a Administração.

QB

Buenas a todos!

É provável que eu esteja aqui, neste post, a inaugurar uma nova rubrica do "melhor blog do mundo". Sugiro um nome para a mesma: Caipicola on camera. Deixo a decisão a cargo, claro, em primeiro lugar, do co-administrador do blog (em tempos apelidado de "ditador") e de vocês, fiéis (assim se espera) amigos/leitores do mesmo.

Como o próprio nome desde logo indicia, será uma rubrica que terá como fundamento vídeos e fotos. Serão vídeos e fotos das mais variadas situações, nos mais variados contextos. Apenas uma condição: os protagonistas seremos nós, administradores, assim como os amigos/leitores do blog.

Depois desta achega sobre a rubrica, passo agora a introduzir o vídeo que pode ter dado origem a isto tudo. Intitulei o mesmo de "Ele 'tá a filmaaaaaaar!!" (os leitores irão perceber...). Em termos de contexto é bastante simples de explicar. Sábado à noite, noite esta que foi regada, QB, com copos, animação e ginganço (falo por mim, não me atrevo a chamar dança a tal coisa). Penso que o vídeo dirá o resto...

video

P.S. 1: O cigarro que Diogo ostenta no vídeo deve ter andado na boca e orelha dele uns valentes 10/15min até ser, finalmente, aceso.

P.S. 2: Obrigado à Máfi-a pela "câmara" (Vês?! Já escrevi sobre as nossas noites.)

"O Focse vai ***** a GNR", a Administração.

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Como é que eu me pude esquecer?

A rúbrica tem estado parada, é verdade.

Mas hoje, basta uma pequena pérola para o regresso ser grandioso...

Não vamos citar nomes, basta dizer que envolve um comentador...


"-Vou. Vou com todo o gosto!
Digo mais, vou lá e como a mulher dele!"


Arrebatadoramente, a Administração.

Constatação

Não é que a nossa polícia anda, vá, "tola"?

Reparem: estão três jovens e esbeltos formadores a abandonarem as "vicinities" da casa da juventude em Saint Cross of the Bishop e não é que os mesmos, a bordo de um Renault Clio, são mandados parar por uma patrulha policial, a qual, após conferir toda a documentação exigida, ainda teve o desplante de perguntar ao condutor/proprietário se o mesmo sabia, de cabeça, a matrícula do seu carro?!

Haja paciência...

Na verdade, há mais e envolve um sujeito que vai casar no dia 11 de Julho às 11h, mas estou a fazer alta força para não comentar essa situação...

Tá na altura de tornar a coisa mais pessoal, a Administração.

Tás à vontade, Focse!


Caro Focse,

Se cancelaste a tua conta no "melhor blog do mundo" para ter um blog de cariz mais romântico, a roçar, por vezes, o erotismo, então fizeste bem. Não é o nosso registo. Contudo, vejo que estás extremamente inspirado, ou melhor, transpirado, dado que os teus posts fluem como o suor dos nossos poros. Que é como quem diz, há um post novo todos os dias!

Eroticamente, a Administração.

terça-feira, 14 de abril de 2009

Workshop @ Sta Cruz do Bispo


Ora boas!

Demorou, mas cá está ele: o texto descritivo-informativo que vai dar a conhecer um pouco melhor o workshop onde trois figuras ilustres (Eu, Diogo e - quem mais? - Carlos Duarte) transformaram diabos, diabinhos e diabretes em pequenada capaz de fazer um pouco de teatro.

O feito ocorreu entre os dias 30 de Março e 3 de Abril. A data é importante, acima de tudo, para que se possa perceber o curto espaço de tempo que tivemos para encenar, a partir da estaca zero, uma peça com a malta Freixieiroense e/ou Perafitense. Acerca das localidades, um facto peculiar. É curioso como dizer só Freixieiro ou só Perafita não soa, nem de perto nem de longe, tão bem como dizer as duas juntas, ou seja, Freixieiro-Perafita.

Posto isto, importa agora relatar os factos da semana absolutamente diferente de tudo o que já foi vivido pelos três "stôres" (como os miúdos teimavam em chamar). É que nem com "tolas" conseguiríamos imaginar para o que íamos. "Tolas" estas que vão assumir um papel de maior destaque mais adiante. Tal como eu gosto, vamos por partes.

Day 1

O ponto de partida desta semana foi, para mim, um dos pontos altos. Estava eu à espera em casa que os outros dois "formadores" me viessem buscar até que recebo o toque do Diogo, aquele toque que toda a gente dá e que quer dizer "anda cá para fora, estou a chegar". E não é que Carlos Duarte, que muito poucas vezes se tinha deslocado ao Principado, perturba logo a pacata hora de almoço desta famigerada localidade?! Apenas e só, disse (com a janela do carro totalmente aberta, debruçado sobre a mesma e com a cabeça de fora): "É só formadores de teatro!"

Depois de dado o mote, seguiu-se a viagem até Sta Cruz do Bispo, perto de Freixieiro-Perafita (cá está, sempre as duas lado a lado). A viagem foi pautada pela curiosidade, sobretudo sobre o que íamos encontrar na Casa da Juventude de Sta Cruz do Bispo. Sabíamos que íamos encontrar juventude (dah!), entre os 13 e os 15 anos. Mas que "tipo" de juventude? Faltava pouco para saber.

Chegados a Saint Cross of the Bishop, muito bem orientados pelo Chocolari ("Na rotunda, saia ná sigunda saída" - ler com sotaque à Scolari), o Carlos solta logo uma frase ilucidativa: "Hey, eu já aqui estive. Já vim penhorar aqui alguém. Oh que caralho, ainda penhorei o pai de algum dos miúdos! Vai aparecer aí a dizer "filho da puta, levaste-me a máquina de lavar e agora ando com roupa suja". Tou fodido!". Depois disto, cigarrinho e café enquanto se esperava pela "chefinha".

A "chefinha" chegou e, depois de alguns esclarecimentos, era hora de começar a labutar. Começamos, como é óbvio, pela nossa apresentação. Mas não é isso que interessa para aqui. Interessa, isso sim, apresentar os nossos pupilos. Ei-los:

João Martins - pouco a dizer sobre este puto; era dos mais "normais".
Flávio "Raquetes" - o típico "chato com'à putaça"; sempre a rir-se e a falar mas depois nunca era ele; um dos grandes candidatos à "Chapada de Ouro" se pudessemos dar pancada.
Marta - a miúda andou a semana toda agarrada a um urso e, mais tarde, agarrou-se ainda a outro "urso"; um coto esquizo; é preciso dizer mais alguma coisa?
Bárbara - voz um bocado estridente; a mais "normal" e a mais fácil de lidar do sector feminino.
Gonçalo - parecia ser um rapaz pacato mas revelou-se um pouco atrevido, adoptando, por vezes, posturas menos próprias a roçar o desrespeito; no final, não foi dos piores.
Francisco, a.k.a. Xiquinho - o Carlos quis adoptar este miúdo; rapaz com mais jeito e espírito para o teatro.
Lopes - o gordo de serviço; como diria o Alexandrino, este rapaz anda sempre firme e hirto; falar alto não era com ele, muito menos mexer-se; no final, conseguimos altos progressos, constituindo, talvez, uma das nossas maiores vitórias.
Daniel - nem sei o que dizer sobre este; fez de Paulo Bento, chega?
José - que figura, só visto mesmo; nem o Miguel Veloso conseguiu encarnar muito bem, o que retrata as dificuldades sentidas pelo jovem.
Diana - não conseguiu simular a sua própria morte, nem que fosse só agarrar o pescoço e cair de joelhos; mas na rua e com os rapazes já demonstrou muito mais expressividade; enfim...
André "Di Maria" - o puto era o Di Maria chapado; esteve bem no seu papel de bêbado, apesar de falar sempre na mesma posição e só quando se calava é que se lembrava que era bêbado e lá dava dois passinhos para trás, como quem perde o equilíbrio.
Bruno - é o outro "urso" a quem a Marta se agarrava; e mais não digo.
Daniel "Morangos" - a figura do sector masculino; este puto, mesmo digno deste nome, tinha a mania; dançava hip hop, queria ser actor mas em palco só se mexia, se é que se mexia, quando lhe diziam; traço mais peculiar, a forma de falar dele: dentinhos meios de fora, por cima do lábio e nos S assobiava que nem um pardalito; "impressionante".
Laura - Meu Deus, difícil até dizer chega; era a badochinha de serviço e não queria nada com aquilo; até me admiro como é que conseguimos fazer com que ela se vestisse meio à homem; sim, conseguimos pouco mais com esta figura.

Este primeiro dia serviu para as apresentações, alguns jogos para deixar a malta mais à vontade e entrar no espírito do workshop. Contudo, serviu também para termos consciência que ia ser uma semana de luta, o que levou o Carlos a afirmar: "eu não venho para aqui sóbrio".

Day 2

O mais importante deste dia nem teve a ver com o workshop. Primeiro, foi o Carlos a cumprir a promessa de não ir sóbrio (com substâncias menos próprias que não interessa referir mas que foram consumidas no passeio público em frente ao Novo Oriente) e, depois, foi a paragem nas bombas de gasolina da Galp logo a seguir ao Nortshopping para tomar café (nós sem café não conseguíamos levar aquilo para a frente da mesma maneira). E que café! Em primeiro lugar, era ver o Carlos, qual funcionário, encostado à máquina, munido de trocos para os cafés de todos, a tirar os ditos cujos. O problema foi que, para além da máquina demorar uma eternidade para tirar os ditos cujos, os cafés saíam a, passo a citar o Carlos, "a 700º centígrados". O funcionário do posto de abastecimento tentava permanecer impávido e sereno mas não se viu livre de nós sem levar uma reprimenda do Carlos: "Maninho, eu sei que a culpa não é tua mas têm que trocar a máquina. Café a 700º?! O que é isto??"

Em termos de workshop, foi dada continuidade ao que foi feito no dia anterior. Jogos (eles queriam era jogos!) e início mais a sério dos ensaios para a peça.

O mais peculiar deste dia foi mesmo o que se passou na viagem de regresso. Estávamos nós a passar pelo NorteShopping quando surge, ao nosso lado, um indivíduo com uma valente motona, a típica Chopper, com matrícula italiana. O sujeito vestia um colete e umas calças de fato-de-treino cinzentas. O mais jocoso/perturbador foi que as calças estavam abaixo do seu nível normal em relação à cintura e permitiam visualizar o "grand canyon". Eu e Diogo ríamos quando Carlos dispara: "É o Fernando Couto". Ficámos estupefactos. Prosseguiu: "A matrícula não era italiana?". Confirmamos. Concluiu: "Pelo rêgo do cu e se a matrícula era italiana, era o Fernando Couto. Ele tem uma mota daquelas". Não é preciso tecer mais comentários, pois não? Aposto que os leitores estão a pensar o mesmo que eu e o Diogo pensámos na altura. Adiante...

Day 3

Faltou o Carlos, o que desde já permite perceber que não foi a mesma coisa. Dar formação de manhã (às 9 da matina!!) a putos?! Joguinhos e mais ensaio que a gente não se queria chatear muito...

Day 4

Fui, literalmente, lançado às feras! Estive sozinho com a matilha metade do tempo, que é como quem diz duas horas e meia. Mas não culpo os meus companheiros, tiveram outros afazeres. A sessão começou com meia hora de atraso (eles não se calavam) mas, para compensar, não houve jogos e eles levaram com ensaio atrás de ensaio. Também estávamos na véspera do dia D, só lhes fez bem.

Facto digno de registo. Eu e, mais tarde, o Diogo tivemos que ser um pouco mais rígidos com eles, para que pudesse haver condições de trabalho e o dia não fosse dado como perdido. O problema é que quando estava tudo mais ou menos concentrado e controlado, eis que surge Carlos Duarte a distribuir beijinhos e abraços que nem um presidente em dia de campanha eleitoral. Depois, é claro que era do Carlos que eles gostavam mais. Tinha que ser! Pelo menos, no fim reconheceu os progressos que conseguimos com o cardume de peixinhos...

Day 5

O dia D, o dia do espectáculo. Para começar bem, fomos tomar café ao "Delícia" e tentar arranjar os adereços necessários para a peça. O mais curioso foi irmos aos "chinocas", para tentar comprar um martelo "à juiz" e, depois de explicarmos ao oriental o que queríamos, ele indicou-nos um martelo "à trolha". Eu achei que devíamos ter utilizado o instrumento mas os meus companheiros não foram da mesma opinião. Acabámos por comprar apenas um mini-estojo de maquilhagem para pintar um olho de negro ao Lopes. O que inicialmente custou €1,50, acabou por ser comprado por €1,95. Rais parta as chinesices...

Chegámos atrasados porque estava um trânsito do caraças mas houve alguém que chegou mais tarde, o mister de dança, o Salazar! Resumindo a coisa, que isto já vai longo, lá preparámos os miúdos para o espectáculo (roupas, pinturas e tal) e deu-se início ao mesmo, mas um de fazer corar o La Féria! Quer dizer, pelo menos a nossa parte. É que enquanto na parte das marionetas até personagens com o guião na mão havia, a parte da dança não foi, de todo, do agrado da "chefinha". Não é preciso dizer mais nada.

Considerações finais

Antes de mais, somos os maiores! É verdade. Não é para menos. Quem transforma diabos, diabinhos e diabretes em "actores" por alguns minutos, tem alguma coisa de especial. Mais: a "chefinha", que não gostou da dança, adorou a nossa parte e selou a ocasião com um sentimento claro, "que seja o primeiro de muitos trabalhos". E nós cá estaremos para transformar o que quer que seja em "actores". Não somos actores, fazemos teatro, e conseguimos pôr outras pessoas a fazer teatro. Essa é que é essa.

Foi uma curta longa semana. No final do último dia, o Carlos quase que conseguia realizar o seu sonho: raptar o Xiquinho. Quase, mas não conseguiu. Limitou-se ao mais importante, alertar o pai para o potencial do filho.

Não sei o que dizer mais. Acho que o mais importante está aqui. Gostaria, por último, de dizer que já há DVD deste workshop. Já o vi e, se possível, também o verão. Pode ser que consigamos colocar aqui, no melhor blog do mundo, imagens desse espectáculo memorável.

"E tudo começou na Casa da Juventude de Sta Cruz do Bispo...."

"Isso é o mínimo, Sr. Dr. Juiz", a Administração.

quinta-feira, 2 de abril de 2009

Estamos como a Ton Paipai da Vilarinha


É verdade, esta semana há momentos em que parece que temos mesmo a cabeça toda comidinha. Este post é a prova disso. Botem-me sentido...

Conhecem a música techno-dançant "Electro"?

Pois bem, no seguimento de uma conversa durante a viagem de regresso a casa depois de mais uma tarde fatídica em Sta. Cruz do Bispo, surgiu no ar a palavra "erecta". Então, eu lembrei-me de cantar esta música, do agrupamento musical Outwork, mas substituindo a palavra que dá nome à chanson por "erecta". E não é que até faz sentido?!

Estava longe de imaginar que fosse fazer tanto sentido. Aqui ficam um vídeo da música e a letra da mesma com as devidas alterações. É para apreciar!!


Outwork - Electro - The funniest videos clips are here

Pa dam pam pam pam pam pam pa da dam (8x)

Hap beep on time, dancin' dancin' to the rhythm of
Erecta is fine,
It can, it can get you movin'
Movin' on top, erecta, erecta is the new style
Jacky and Jane see them movin' to the baseline

Pa dam pam pam pam pam pam pa da dam (4x)

Hap beep on time, dancin' dancin' to the rhythm of
Erecta is fine,
It can, it can get you movin'
Movin' on top, erecta, erecta is the new style
Jacky and Jane, see them movin' to the baseline

Funkin' on top, erecta, erecta make you feel fine
Open your mind, feel it, feel it, from the inside
Heartbeat on top, erecta, erecta is the rhythm
Micheal and Jane fakin' fakin' get no better

Out on the floor see them groovin' to the baseline
Funkin' on top, erecta, erecta is the new style
Funkin' on top, erecta, erecta make you feel fine
Open your mind, feel it, feel it, from the inside

Pa dam pam pam pam pam pam pa da dam (8x)

Heartbeat on top, dancin' dancin' to the rhythm of
Erecta is fine,
It can, it can get you movin'
Movin' on top, erecta, erecta is the new style
Jacky and Jane see them movin' to the baseline

Funkin' on top, erecta, erecta make you feel fine
Open your mind, feel it, feel it, from the inside
Funkin' on top, erecta, erecta make you feel fine
Open your mind, feel it, feel it, from the inside

Pa dam pam pam pam pam pam pa da dam (8x)

Funkin' on top, erecta, erecta make you feel fine
Open your mind, feel it, feel it, from the inside

Pa dam pam pam pam pam pam pa da dam (4x)

P.S.: Carlos, estas que aparecem no videoclip não chegam aos calcanhares das que vimos no shopping, pois não?

Espevitadamente, a Administração.

E amanhã?


Amanhã?! Amanhã é moca na certa, minha boa gente!

É que esta semana tem sido completamente diferente de qualquer outra que eu já vivi. Eu, um dos outros administradores (Jack) e o ilustre comentador residente deste nosso espaço andamos a (tentar) transformar diabos, diabinhos e diabretes em "artistas". Não tem sido fácil. Amanhã lá saberemos se fomos bem sucedidos ou nem por isso.

Para já, ficam duas promessas:
1 - Amanhã, logo após o espectáculo (estamos convencidos que vai haver um), os três "stôres" (como eles fazem questão de chamar) vão jantar, beber, fumar e algo mais (porque o Carlos está com bom feeling) para assinalar o fim desta jornada.

2 - Fica prometido um post em que serão relatadas todas as incidências desta semana. Lembram-se do texto relativo às Olimpíadas de Casal de Ermio? Acho que vai ser maior!

Aventuras em Sta. Cruz do Bispo, a Administração.